Bem-vindo ao projeto “Mais Fortes Que a Zika”. Neste espaço, você vai conhecer melhor este trabalho e seus frutos, que são as ações desenvolvidas por Organizações da Sociedade Civil (OSC) em cinco cidades pernambucanas. O objetivo do projeto é levar conhecimento sobre a importância da prevenção sexual no combate à infecção pelo Zika vírus, a fim de evitar não apenas a manifestação da doença, como também seu resultado mais nefasto: a Síndrome Congênita do Zika, que provoca o nascimento de crianças com problemas neurológicos, dentre os quais o mais conhecido é a microcefalia.

O “Mais Fortes Que a Zika” é resultado da parceria entre o Fundo PositHiVo e a multinacional Bayer. As cinco OSC que estão realizando seus projetos foram escolhidos por meio de um edital público lançado pelo Fundo PositHiVo em setembro de 2016. Batizado como “Saúde Sexual e Reprodutiva no Contexto do Zika Vírus”, o edital culminou com a escolha – por meio de um comitê de avaliação – das seguintes organizações: Grupo de Trabalho em Prevenção Positivo (GTP+); Instituto Mara Gabrilli; Casa da Mulher do Nordeste; Instituto PAPAI e Grupo Curumim Gestação e Parto.

 

PERNAMBUCO

O estado de Pernambuco é o palco do “Mais Fortes Que a Zika” por ter sido um dos mais atingidos pelo surto do vírus da Zika, entre 2015 e 2017, e por ter apresentado dados expressivos de gestantes infectadas, o que gerou um alto índice de crianças com a Síndrome Congênita do Zika. As cinco cidades escolhidas (Recife, Olinda, Goiana, Caruaru e Petrolina) apresentam dados expressivos de infecção pelo zika e englobam as principais regiões do estado nordestino.

 

CARAVANA

Além das ações específicas, todas as cidades receberam a ação cultural e educativa levada pela caravana “Mais Fortes Que a Zika”. Organizada e administrada pela OSC Gestos-Soropositividade, Comunicação e Gênero, parceira do Fundo PositHiVo, a caravana levou diversas ações lúdicas e educacionais à população das cinco cidades. O destaque foi para o “Som na Rural”, no qual um veículo Rural Willys estilizada conclamava a população local a assistir apresentações artísticas e explicações sobre a importância da prevenção sexual contra o vírus da Zika.