I Oficina de OSC apoiadas pelo Fundo é um grande sucesso

O Fundo PositHiVo e o Departamento de IST, HIV/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde realizaram, nos dias 17 e 18 de abril, em Brasília-DF, a I Oficina das Organizações da Sociedade Civil apoiadas pelas duas instituições. Ao todo, foram 31 OSC presentes ao evento, que contou com palestras, troca de vivência conduzida por facilitadoras e muito intercâmbio de informação entre os ativistas que estiveram em Brasília.

Gregoire Saint Gal de Pons (Caixa Seguradora), Fábio Deboni (Instituto Sabin), Adele Benzaken (DIAHV), Harley Henriques  (Fundo PositHiVo), Cristian Schneider (Gilead) e Amaila De La Torre (Bayer)

Gregoire Saint Gal de Pons (Caixa Seguradora), Fábio Deboni (Instituto Sabin), Adele Benzaken (DIAHV), Harley Henriques (Fundo PositHiVo), Cristian Schneider (Gilead) e Amaila De La Torre (Bayer)

A realização da oficina é mais um passo do Fundo PositHiVo na busca por facilitar a atuação em rede entre as OSC que militam no campo do HIV/Aids, com participação de agentes públicos e da iniciativa privada. Além dos 31 representantes de organizações, também estiveram presentes integrantes do Ministério da Saúde e executivos de algumas empresas privadas e organizações que apoiam o Fundo PositHiVo, dentre elas a Caixa Seguradora, o Instituto Sabin, a Gilead e a Bayer.

Temas como a prevenção combinada, com destaque para a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e o crescimento do HIV/Aids em populações-chave, como jovens negros e moradores das periferias ou favelas foram muito debatidos. Destaque também para as realidades distintas entre as OSC presentes, que representaram todas as regiões do Brasil. Portanto, a necessidade de ampliar a rede de informações sobre prevenção em regiões fronteiriças com a Venezuela e a Guiana Francesa foram levadas a debate por organizações de Roraima e do Amapá, respectivamente. Assim como foram lembradas a luta pelo empoderamento de travestis e pessoas trans em estados como Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

Todas as OSC presentes contaram com recursos mobilizados pelo Fundo PositHiVo e foram contempladas em um dos três editais já lançados pela instituição entre os anos de 2016 e 2017. É o caso das quatro organizações pernambucanas contempladas pelo edital lançado para combater o contágio sexual do vírus da Zika.

Demandas
Dentre as principais demandas trazidas pelas OSC ainda estão a dificuldade de um diálogo efetivo com os gestores públicos da Saúde em boa parte dos municípios, a falta de acesso a kits de testagem, medicamentos e insumos de prevenção em determinadas localidades e a interferência do Poder Legislativo de cunho conservador. Também foi lembrada a escassez de recursos, especialmente para arcar com custos de infraestrutura e aluguel de sedes para as instituições.

Apesar das dificuldades, o clima de confraternização e de alegria permeou todas as atividades da Oficina. “Esta Oficina, promovida em parceria com o Departamento, é uma conquista não apenas do Fundo, mas de todas as organizações aqui presentes. Nosso objetivo é realizar mais eventos assim, para podermos nos unir cada vez mais em prol do objetivo comum”, disse Harley Henriques, coordenador geral do Fundo PositHiVo. “A troca de experiências, de vivências e a percepção de como podemos nos unir é o maior fruto deste encontro”, analisou Élida Miranda, coordenadora executiva e coordenadora de projetos do Fundo.

Oficina-Panorama

Mandala
Os debates e palestras da Oficina ocorreram ao redor de uma grande “mandala da diversidade”, um grande tecido circular na qual os ativistas depositaram objetos e alimentos característicos de suas regiões (além, é claro, de materiais dos projetos realizados). Cachaças, rapadura, bolo de rolo, panela de barro, trajes típicos dividiram espaço com camisetas, folders, cartazes e preservativos.
A julgar pela confraternização e emoção de todos os integrantes ao final da Oficina, o Fundo fica com sabor de missão cumprida e ansioso pela oportunidade de organizar mais um encontro assim. Vamos em frente!

Outro ponto a se destacar foi a ampla cobertura da mídia. Rede Globo, TV Brasil, Correio Braziliense e Rádio Nacional foram alguns dos veículos a cobrirem amplamente o evento. “Em geral a grande imprensa só fala do nosso tema no Dia Internacional da Luta Contra a Aids. Este destaque também é uma vitória”, comemorou Harley Henriques.

Oficina-Despedida-site

Estiveram presentes na I Oficina das OSC Apoiadas pelo Fundo PositHiVo e pelo Departamento de IST, HIV/Aids e Hepatites Virais as seguintes instituições (todos os representantes receberam certificado de participação):

Gapa Itabuna – Grupo de Apoio à Prevenção da Aids (Itabuna-BA)

Escoteiros do Brasil-São Paulo (São Paulo-SP)

Associação Microrregional de Aprendizagem Profissional (Ananás-TO)

Girassol, Amigos da Diversidade (São Borja-RS)

Grupo Orgulho, Liberdade e Dignidade-GOLD (Vitória-ES)

Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero (Recife-PE)

Associação de Bem Com a Vida – ABV (Boa Vista-RR)

Pastoral da Aids – CNBB Norte 2 (Belém-PA)

Associação da Parada do Orgulho GLBT de Goiás (Goiânia-GO)

Grupo Pela Vidda Niterói (Niterói-RJ)

Grupo Arco Íris de Cidadania LGBT (Rio de Janeiro-RJ)

Estrela Guia-Associação em Prol da Cidadania e dos Direitos Sexuais (Florianópolis-SC)

Cordel Vida (João Pessoa-PB)

RNPVHA Uberlândia (Uberlândia-MG)

DPAC Fronteira (Oiapoque-AP)

Associação Arte e Cultura do Bairro Baianão (Porto Seguro-BA)

Grupo Matizes (Teresina-PI)

Apros-PB – Associação das Prostitutas da Paraíba

Associação GDA – Grupo de Diversidade LGBT (Anápolis-GO)

Grupo Conexão G de Cidadania LGBT de Favelas (Rio de Janeiro-RJ)

ECOS-Comunicação em Sexualidade (São Paulo-SP)

Associação Ilê Ache Omo Odê (SãoPaulo-SP)

Reprolatina Sol. In. em Saúde Sexual e Reprodutiva (Paulínia-SP)

Rede Mulheres Negras (Curitiba-PR e Foz do Iguaçu-PR)

APVHA (Porto Alegre-RS)

Igualdade RS (Região Metropolitana de Porto Alegre-RS)

Casa da Mulher do Nordeste (Recife-PE)

Grupo de Trabalho em Prevenção Posithivo GTP+ (Olinda-PE)

Insituto Papai (Recife-PE)

Grupo Curumim Gestação e Parto (Recife-PE)

Instituto Mara Gabrilli (São Paulo-SP)

Contato.


Avenida São Luís, 50 sl. 72G – República – São Paulo/SP
+55 11 3129-9055